sábado, 11 de julho de 2015

Consumo de Sal

O sal consumido pela população brasileira: Estaríamos com elevado consumo individual de sal?




Fonte da Imagem: François Raux

O sal consumido pela população brasileira é, em sua totalidade, de origem marinha, isto é, o sal é obtido de um processo de evaporação da água do mar sob ação solar até que se formem os cristais de cloreto de sódio (35% de sódio e 65% de cloreto de sódio). 


Desde 1995, por lei federal, o sal é iodado, isto é, acrescenta-se iodato de potássio ao sal processado pela indústria salineira. A proporção de iodo no sal, consumido pela população, pode variar de 15 a 45 mg de iodato de potássio por kg de sal. 


As indústrias salineiras, em média, colocam ao redor de 35 mg de iodato de potássio a cada kg de sal para consumo populacional. Em uma reunião recente do Ministério da Saúde com cientistas preocupados pela possível redução do consumo individual de sal, notou-se que as autoridades em saúde pública pretendem reduzir em futuro próximo o consumo de sal individual para sete gramas de sal (por dia). Com isso, também estaríamos reduzindo a quantidade de iodo, a qual, como já dissemos, é veiculada pelo sal marinho. No estado do Espírito Santo, recentemente, foi aprovada lei que proíbe o uso de saleiros e saches de sal, nas mesas de bares e restaurantes.


segunda-feira, 22 de junho de 2015

Teste do Pézinho na primeira semana de vida

Hipotireoidismo Congênito, ou seja, falta de função da tiróide no recém-nascido

Faça o teste do Pezinho na primeira semana de vida de seu bebê


No Brasil, nascem, a cada ano, 2.400.000 crianças que serão submetidas, até o sétimo dia de vida, ao teste do pezinho. Nesse teste, além de outras moléstias, se detecta se a função da tiróide está normal, ou se a criança apresenta falta de função dessa importante glândula. A maioria das mães fazem o teste da tiróide (teste do pezinho) ainda na maternidade, ou hospital. Outras são instruídas a procurar os postos de saúde para realizar o mesmo teste antes de completar o sétimo dia. É lamentável, mas em boa parte do Brasil, as mães apenas levam as crianças para fazer o teste 30 ou mais dias após o nascimento. Se houver falta de função da tiróide, o fato da criança permanecer durante tanto tempo sem o auxílio de uma prescrição de hormônio tireoidiano poderá gerar graves consequências no sistema nervoso central. Na maioria dos países ocidentais, o teste do pezinho é realizado em crianças até o sétimo dia de vida. Em nosso país, todavia, centenas de milhares de crianças fazem o teste tardiamente. A imensa maioria das crianças apresenta uma falta de função da tiróide devido a má formação da glândula, a qual permanece junto à base da língua e não desce a sua posição normal na face anterior do pescoço. Outras crianças com mais graves sintomas, não tem nenhum vestígio de formação da tiróide e necessitam medicação com urgência. As causas menos frequentes de falta de função da tiróide no recém-nascido são devidas a raras afecções que se caracterizam por falta de função de uma tiróide que se situa normalmente no pescoço. A falta de função se deve a diversas afecções metabólicas, ou seja, falta de determinados pontos que são importantes para a geração de hormônio da tiróide.

Em recente número da revista JCE&M (Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism), os pesquisadores chineses descrevem um recém-nascido com todos os sintomas de falta da função da tiróide na primeira semana de vida. Como a tiróide estava na posição normal, passaram a investigar outros erros metabólicos que costumam estar presentes na tiróide não funcionante num recém-nascido. Como todas as outras etapas do metabolismo pareciam normais, resolveram pesquisar determinada substância que é muito importante para formar uma enzima chamada de peroxidase. Em resumo, descobriram que havia falta de uma enzima muito importante para a formação de peroxidase. Insistem ainda na raridade desse evento e comunicam o registro de uma moléstia de tiróide, afetando o recém-nascido e que têm sua gênese na falta de uma enzima.
Para concluir, devo dizer que a totalidade das crianças recém-nascidas faz o teste do pezinho na República Popular da China. No Brasil, ainda temos muitos problemas nos Estados situados no Norte e Nordeste, a respeito desse teste em recém-nascidos. 

Invista no seu filho. O Teste do Pezinho é o primeiro passo para um futuro saudável e brilhante


segunda-feira, 15 de junho de 2015

Adolescentes obesos

Adolescentes obesos frequentemente podem apresentar
pequenas disfunções da glândula tiróide e insulina elevada,
alterações indicadas por exames sensíveis.


Fonte: obesidadeinfantil.org

Muitos adolescentes obesos são levados a médicos endocrinologistas para, eventualmente, tratarem de problemas “glandulares”. É comum que os pais de um adolescente obeso procurem o profissional porque acreditam que o seu filho, ou sua filha, obesos estejam sofrendo de algum defeito glandular.

Para colocar este tipo de crença popular em fenômenos bem esclarecidos e com bases em exames sensíveis, pesquisadores da Clínica Mayo estudaram 37 pacientes com idade média de 14,3 anos e Índice de Massa Corporal muito elevado (32 K/m2). 47% desses adolescentes eram masculinos. Os médicos visavam estudar a relação existente entre TSH relativamente elevado e o
nível de insulina sérica a qual se mostrava mais elevada que o normal em todos os adolescentes estudados. O nível de insulina sérica mostrava-se significativamente elevado nos adolescentes do sexo masculino e havia uma relação significativamente positiva com o nível de TSH mais alto que o normal. Esses resultados sugerem que existe uma associação específica do sexo masculino entre TSH elevado e insulina alta.




Fonte: unesp.br

Com os dados obtidos, os autores julgam que se justifica a administração de suplemento tireoidiano em pacientes adolescentes masculinos. As pacientes femininas, embora também apresentassem TSH relativamente elevado, não apresentavam elevação na insulina. Nesse trabalho, não ficou claro se a origem do problema tireoidiano estivesse relacionada a uma tireoidite crônica, ou outra forma de moléstia tireoidiana. Em todo caso, fica bastante clara a interação entre eventual hipotireoidismo e resistência à ação da insulina em adolescentes obesos.

(Thyroid, 25:5, 2015)



quinta-feira, 11 de junho de 2015

Rogier van der Weiden

Representações pictóricas de tiróide aumentada de volume em senhoras famosas do século XV, pintadas por van der Weiden

A deficiência crônica de iodo estava presente em vários países da Europa continental até que, finalmente, o iodo foi descoberto (1808) e corretamente empregado em sal destinado ao uso das populações.  Tal fato ocorreu na França em meados do século XIX. Artistas que visitaram o Brasil em excursão pelas cidades interioranas constataram enormes bócios nas populações do Vale do rio Paraíba. Também em outros Estados, ou províncias interioranas, a presença de bócio era muito conhecida e representada em desenhos das várias expedições científicas que nos visitaram.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Mensagem comemorativa do Dia internacional da Tiróide


Mensagem comemorativa do Dia internacional da Tiróide, bem como Thyroid Awareness Week

Nesta data e nesta semana, comemora-se em todo o mundo os fatos relacionados á glândula tiróide, tanto em sua fisiologia como nas doenças provenientes do mau funcionamento dessa glândula, bem como do enorme problema da falta de tiróide no recém-nascido.

Nesse sentido, o Departamento de Tiróide da SBEM-Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia preparou um extenso relatório sobre as várias doenças da tiróide, bem como as dúvidas mais comuns que os pacientes relatam aos médicos e que, muitas vezes, ficam sem resposta.

O Instituto da Tiróide vem se associar a essas comemorações e apresenta suas boas-vindas a todos que frequentemente procuram através das redes sociais dirimir as suas dúvidas e suas preocupações referentes às doenças da tiróide.



Com as minhas mais cordiais saudações








Geraldo Medeiros-Neto



Nas duas figuras anexas estão indicados fatos relativos ao hipotireoidismo no adulto.  Essa é uma das doenças mais frequentes na prática endocrinológica.  Como se pode deduzir do exame das figuras, conclui-se que, frequentemente, o hipotireoidismo pode ser ignorado ou não diagnosticado durante muitos anos na vida do paciente ou da paciente. A sugestão inerente a esse fato é que o tratamento da falta de função da glândula tiróide deva se iniciar o mais precocemente possível, na vida adulta.Não deixe, portanto, de incluir em seu eventual conjunto de exames, visando estabelecer como está a sua saúde os exames de função da glândula tiróide.




 VOCÊ SABIA?

Hipotireoidismo no adulto

Essa é uma das doenças mais frequentes na prática endocrinológica.  Como se pode deduzir do exame das figuras, conclui-se que, frequentemente, o hipotireoidismo pode ser ignorado ou não diagnosticado durante muitos anos na vida do paciente ou da paciente. A sugestão inerente a esse fato é que o tratamento da falta de função da glândula tiróide deva se iniciar o mais precocemente possível, na vida adulta.

Não deixe, portanto, de incluir em seu eventual conjunto de exames, visando estabelecer como está a sua saúde os exames de função da glândula tiróide. 

DOENÇAS DA TIRÓIDE PODEM LEVAR MUITOS ANOS ANTES DE SEREM DIAGNOSTICADAS


O hipotireoidismo não tratado pode ser associado à depressão, ganho de peso,pele seca, fadiga e infertilidade.


(Modificado de Bhaseen, A. et al.)

Fale com a gente: duvidas@indatir.org.br






segunda-feira, 9 de março de 2015

Calendário de Eventos 2015



The Endocrine Society Annual Meeting

March 5-8, 2015

San Diego, CA

www.endocrine.org



LATS Update Symposium

March 19-21, 2015

Othon Bahia Palace Hotel

Salvador, Bahia , Brazil

www.lats.org


Pediatric Endocrine Society (PES) Annual Meeting

April 25 – April 28, 2015

San Diego, California

www.pedsendo.org


XVI Congresso Brasileiro de Obesidade e Síndrome Metabólica

30 de Abril, 1º e 2 de maio, 2015 Windsor Barra – Rio de Janeiro, RJ 

AACE 24th Annual Meeting and Clinical Congress

May 13-17, 2015

Music City Center& Omni Nashville

Nashville, TN

www.aace.com


American Association of Endocrine Surgeons (AAES)

May 17-19, 2015

Nashville, Tennessee

www.endocrinesurgery.org



The 2nd London International Thyroid Forum

June 12-13, 2015

The Royal College of Surgeons of England

London

www.aesculap-academia.co.uk


15th International Thyroid Congress (Hosted by the American Thyroid Association)

October 18-23, 2015

Walt Disney World Swan and Dolphin Resort

Orlando, Florida

Phone: (703) 998-8890 / Fax: (703) 998-8893

www.thyroid.org




terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Suplementação de iodo na gravidez e amamentação



Suplementação de iodo na gravidez e amamentação: Suas repercussões para o feto, a gestante, a lactante e o lactente


Em 2013, as sociedades internacionais que reúnem os especialistas em moléstias tireoidianas alertaram para o fato de que é essencial para o feto receber iodo, através da transmissão desse elemento, via placentária. Isto porque, após a 16ª semana, a tiróide do feto passa a ser ativa, captando o iodo e sintetizando os hormônios da tiróide. No caso da mãe não receber suplementação de iodo durante a gestação, existiria carência relativa deste precioso iodo para a função tireoidiana fetal.

Os fatos que levaram à conclusão da importância da suplementação de iodo durante a gravidez decorreram de dois trabalhos publicados, respectivamente, na Austrália e no Reino Unido. Na Austrália, a suplementação de iodo à população é de decisão de cada departamento da Comunidade Australiana. Os médicos analisaram, comparativamente, o que acontecia com as crianças nascidas em um determinado departamento em que não há determinação legal de acrescentar iodo ao sal. A análise das crianças, após 10 anos decorridos do parto, foi comparada a das crianças provindas de departamento em que o sal era adequadamente iodado.  Para surpresa dos investigadores, as crianças que provinham de uma gravidez em que a mãe não tinha acesso ao sal iodado apresentavam uma queda do poder cognitivo e capacidade de acumular conhecimento em comparação com crianças, cuja mãe tinha acesso ao sal iodado.