segunda-feira, 22 de junho de 2015

Teste do Pézinho na primeira semana de vida

Hipotireoidismo Congênito, ou seja, falta de função da tiróide no recém-nascido

Faça o teste do Pezinho na primeira semana de vida de seu bebê


No Brasil, nascem, a cada ano, 2.400.000 crianças que serão submetidas, até o sétimo dia de vida, ao teste do pezinho. Nesse teste, além de outras moléstias, se detecta se a função da tiróide está normal, ou se a criança apresenta falta de função dessa importante glândula. A maioria das mães fazem o teste da tiróide (teste do pezinho) ainda na maternidade, ou hospital. Outras são instruídas a procurar os postos de saúde para realizar o mesmo teste antes de completar o sétimo dia. É lamentável, mas em boa parte do Brasil, as mães apenas levam as crianças para fazer o teste 30 ou mais dias após o nascimento. Se houver falta de função da tiróide, o fato da criança permanecer durante tanto tempo sem o auxílio de uma prescrição de hormônio tireoidiano poderá gerar graves consequências no sistema nervoso central. Na maioria dos países ocidentais, o teste do pezinho é realizado em crianças até o sétimo dia de vida. Em nosso país, todavia, centenas de milhares de crianças fazem o teste tardiamente. A imensa maioria das crianças apresenta uma falta de função da tiróide devido a má formação da glândula, a qual permanece junto à base da língua e não desce a sua posição normal na face anterior do pescoço. Outras crianças com mais graves sintomas, não tem nenhum vestígio de formação da tiróide e necessitam medicação com urgência. As causas menos frequentes de falta de função da tiróide no recém-nascido são devidas a raras afecções que se caracterizam por falta de função de uma tiróide que se situa normalmente no pescoço. A falta de função se deve a diversas afecções metabólicas, ou seja, falta de determinados pontos que são importantes para a geração de hormônio da tiróide.

Em recente número da revista JCE&M (Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism), os pesquisadores chineses descrevem um recém-nascido com todos os sintomas de falta da função da tiróide na primeira semana de vida. Como a tiróide estava na posição normal, passaram a investigar outros erros metabólicos que costumam estar presentes na tiróide não funcionante num recém-nascido. Como todas as outras etapas do metabolismo pareciam normais, resolveram pesquisar determinada substância que é muito importante para formar uma enzima chamada de peroxidase. Em resumo, descobriram que havia falta de uma enzima muito importante para a formação de peroxidase. Insistem ainda na raridade desse evento e comunicam o registro de uma moléstia de tiróide, afetando o recém-nascido e que têm sua gênese na falta de uma enzima.
Para concluir, devo dizer que a totalidade das crianças recém-nascidas faz o teste do pezinho na República Popular da China. No Brasil, ainda temos muitos problemas nos Estados situados no Norte e Nordeste, a respeito desse teste em recém-nascidos. 

Invista no seu filho. O Teste do Pezinho é o primeiro passo para um futuro saudável e brilhante


segunda-feira, 15 de junho de 2015

Adolescentes obesos

Adolescentes obesos frequentemente podem apresentar
pequenas disfunções da glândula tiróide e insulina elevada,
alterações indicadas por exames sensíveis.


Fonte: obesidadeinfantil.org

Muitos adolescentes obesos são levados a médicos endocrinologistas para, eventualmente, tratarem de problemas “glandulares”. É comum que os pais de um adolescente obeso procurem o profissional porque acreditam que o seu filho, ou sua filha, obesos estejam sofrendo de algum defeito glandular.

Para colocar este tipo de crença popular em fenômenos bem esclarecidos e com bases em exames sensíveis, pesquisadores da Clínica Mayo estudaram 37 pacientes com idade média de 14,3 anos e Índice de Massa Corporal muito elevado (32 K/m2). 47% desses adolescentes eram masculinos. Os médicos visavam estudar a relação existente entre TSH relativamente elevado e o
nível de insulina sérica a qual se mostrava mais elevada que o normal em todos os adolescentes estudados. O nível de insulina sérica mostrava-se significativamente elevado nos adolescentes do sexo masculino e havia uma relação significativamente positiva com o nível de TSH mais alto que o normal. Esses resultados sugerem que existe uma associação específica do sexo masculino entre TSH elevado e insulina alta.




Fonte: unesp.br

Com os dados obtidos, os autores julgam que se justifica a administração de suplemento tireoidiano em pacientes adolescentes masculinos. As pacientes femininas, embora também apresentassem TSH relativamente elevado, não apresentavam elevação na insulina. Nesse trabalho, não ficou claro se a origem do problema tireoidiano estivesse relacionada a uma tireoidite crônica, ou outra forma de moléstia tireoidiana. Em todo caso, fica bastante clara a interação entre eventual hipotireoidismo e resistência à ação da insulina em adolescentes obesos.

(Thyroid, 25:5, 2015)



quinta-feira, 11 de junho de 2015

Rogier van der Weiden

Representações pictóricas de tiróide aumentada de volume em senhoras famosas do século XV, pintadas por van der Weiden

A deficiência crônica de iodo estava presente em vários países da Europa continental até que, finalmente, o iodo foi descoberto (1808) e corretamente empregado em sal destinado ao uso das populações.  Tal fato ocorreu na França em meados do século XIX. Artistas que visitaram o Brasil em excursão pelas cidades interioranas constataram enormes bócios nas populações do Vale do rio Paraíba. Também em outros Estados, ou províncias interioranas, a presença de bócio era muito conhecida e representada em desenhos das várias expedições científicas que nos visitaram.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Mensagem comemorativa do Dia internacional da Tiróide


Mensagem comemorativa do Dia internacional da Tiróide, bem como Thyroid Awareness Week

Nesta data e nesta semana, comemora-se em todo o mundo os fatos relacionados á glândula tiróide, tanto em sua fisiologia como nas doenças provenientes do mau funcionamento dessa glândula, bem como do enorme problema da falta de tiróide no recém-nascido.

Nesse sentido, o Departamento de Tiróide da SBEM-Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia preparou um extenso relatório sobre as várias doenças da tiróide, bem como as dúvidas mais comuns que os pacientes relatam aos médicos e que, muitas vezes, ficam sem resposta.

O Instituto da Tiróide vem se associar a essas comemorações e apresenta suas boas-vindas a todos que frequentemente procuram através das redes sociais dirimir as suas dúvidas e suas preocupações referentes às doenças da tiróide.



Com as minhas mais cordiais saudações








Geraldo Medeiros-Neto



Nas duas figuras anexas estão indicados fatos relativos ao hipotireoidismo no adulto.  Essa é uma das doenças mais frequentes na prática endocrinológica.  Como se pode deduzir do exame das figuras, conclui-se que, frequentemente, o hipotireoidismo pode ser ignorado ou não diagnosticado durante muitos anos na vida do paciente ou da paciente. A sugestão inerente a esse fato é que o tratamento da falta de função da glândula tiróide deva se iniciar o mais precocemente possível, na vida adulta.Não deixe, portanto, de incluir em seu eventual conjunto de exames, visando estabelecer como está a sua saúde os exames de função da glândula tiróide.




 VOCÊ SABIA?

Hipotireoidismo no adulto

Essa é uma das doenças mais frequentes na prática endocrinológica.  Como se pode deduzir do exame das figuras, conclui-se que, frequentemente, o hipotireoidismo pode ser ignorado ou não diagnosticado durante muitos anos na vida do paciente ou da paciente. A sugestão inerente a esse fato é que o tratamento da falta de função da glândula tiróide deva se iniciar o mais precocemente possível, na vida adulta.

Não deixe, portanto, de incluir em seu eventual conjunto de exames, visando estabelecer como está a sua saúde os exames de função da glândula tiróide. 

DOENÇAS DA TIRÓIDE PODEM LEVAR MUITOS ANOS ANTES DE SEREM DIAGNOSTICADAS


O hipotireoidismo não tratado pode ser associado à depressão, ganho de peso,pele seca, fadiga e infertilidade.


(Modificado de Bhaseen, A. et al.)

Fale com a gente: duvidas@indatir.org.br






segunda-feira, 9 de março de 2015

Calendário de Eventos 2015



The Endocrine Society Annual Meeting

March 5-8, 2015

San Diego, CA

www.endocrine.org



LATS Update Symposium

March 19-21, 2015

Othon Bahia Palace Hotel

Salvador, Bahia , Brazil

www.lats.org


Pediatric Endocrine Society (PES) Annual Meeting

April 25 – April 28, 2015

San Diego, California

www.pedsendo.org


XVI Congresso Brasileiro de Obesidade e Síndrome Metabólica

30 de Abril, 1º e 2 de maio, 2015 Windsor Barra – Rio de Janeiro, RJ 

AACE 24th Annual Meeting and Clinical Congress

May 13-17, 2015

Music City Center& Omni Nashville

Nashville, TN

www.aace.com


American Association of Endocrine Surgeons (AAES)

May 17-19, 2015

Nashville, Tennessee

www.endocrinesurgery.org



The 2nd London International Thyroid Forum

June 12-13, 2015

The Royal College of Surgeons of England

London

www.aesculap-academia.co.uk


15th International Thyroid Congress (Hosted by the American Thyroid Association)

October 18-23, 2015

Walt Disney World Swan and Dolphin Resort

Orlando, Florida

Phone: (703) 998-8890 / Fax: (703) 998-8893

www.thyroid.org




terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Suplementação de iodo na gravidez e amamentação



Suplementação de iodo na gravidez e amamentação: Suas repercussões para o feto, a gestante, a lactante e o lactente


Em 2013, as sociedades internacionais que reúnem os especialistas em moléstias tireoidianas alertaram para o fato de que é essencial para o feto receber iodo, através da transmissão desse elemento, via placentária. Isto porque, após a 16ª semana, a tiróide do feto passa a ser ativa, captando o iodo e sintetizando os hormônios da tiróide. No caso da mãe não receber suplementação de iodo durante a gestação, existiria carência relativa deste precioso iodo para a função tireoidiana fetal.

Os fatos que levaram à conclusão da importância da suplementação de iodo durante a gravidez decorreram de dois trabalhos publicados, respectivamente, na Austrália e no Reino Unido. Na Austrália, a suplementação de iodo à população é de decisão de cada departamento da Comunidade Australiana. Os médicos analisaram, comparativamente, o que acontecia com as crianças nascidas em um determinado departamento em que não há determinação legal de acrescentar iodo ao sal. A análise das crianças, após 10 anos decorridos do parto, foi comparada a das crianças provindas de departamento em que o sal era adequadamente iodado.  Para surpresa dos investigadores, as crianças que provinham de uma gravidez em que a mãe não tinha acesso ao sal iodado apresentavam uma queda do poder cognitivo e capacidade de acumular conhecimento em comparação com crianças, cuja mãe tinha acesso ao sal iodado.


quinta-feira, 22 de maio de 2014

Dia Internacional da Tiróide

25 de maio de 2014
é o 
Dia Internacional da Tiróide


A tiróide como problema de saúde pública

1. Suplementação de iodo a toda população brasileira


O Brasil, desde a época colônia até 1995, sempre teve como problema de saúde pública uma deficiência crônica de iodo, atingindo de forma global os habitantes dos Estados sem acesso ao mar. As várias tentativas de colocar iodo no sal para consumo humano sempre tiveram dificuldades quanto a implementação. Somente em 1995 é que, efetivamente, o Ministério da Saúde pode, graças a leis específicas, fornecer iodo à indústria salineira para que ficasse eliminada a deficiência crônica de iodo. Foi uma enorme conquista, pois o amplo acesso ao iodo, diariamente, é essencial para mulheres grávidas e os filhos que estão em gestação. Além disso, a população infantil necessita de uma correta nutrição em iodo para o desenvolvimento do sistema nervoso central e para o crescimento somático adequado.

2. O rastreamento neonatal das moléstias de tiróide