quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Hipotireoidismo Leve


O hipotireoidismo leve com apenas parte dos exames de função tireóidea alterados é chamado de hipotireoidismo subclinico e pode alterar as funções cognitivas


Muitos pacientes, procurando o médico pela primeira vez, são informados que devem fazer exames de tiroide, ou seja, exames dos componentes que estão na circulação do nosso corpo. Esses pacientes possuem, às vezes, um TSH um pouco elevado e o T4 total e livre no limite inferior da normalidade. Como essas alterações não conduzem a sintomas bem definidos, os médicos denominaram essa situação como hipotireoidismo subclinico, isto é, apenas com exames alterados, mas sem manifestação nas queixas que o paciente lhe traz. Existe entre os especialistas em endocrinologia uma grande discussão e divergência de opinião no que se refere ao tratamento de tal condição tireoidiana. Muitos especialistas tem como opção apenas o seguimento do paciente, sem introduzir terapêutica com hormônios da tiroide. 

Nódulos na tiroide podem ser malignos ?

Dúvidas frequentes:
Nódulos na tiroide? Podem ser malignos? Qual é o melhor modo de tratá-los?



Nos países em que o iodo (geralmente por sal iodado) é consumido por todos os indivíduos, a presença de nódulos na tiroide ocorre em cerca de 3 a 5% da população, aumentando progressivamente com a idade. Além de ser mais comum no sexo feminino do que no masculino. Outro fator muito importante é o familiar, uma vez que os nódulos podem estar presentes também em outros membros da família. Alguns países, como Itália e Estados Unidos, oferecem aos consumidores a opção do sal iodado, isto é, existe no comércio à disposição do cliente o sal iodado e o sal sem iodo. Nestes países a proporção de nódulos na tiroide pode ser maior relativamente a outros países. 

sábado, 24 de outubro de 2015

Hipertireoidismo ou doença de Graves

Hipertireoidismo ou doença de Graves
O excesso de função da tiroide pode se associar a doença nas órbitas (exoftalmo)

O hipertireoidismo causando aumento difuso da glândula tiroide a que se associa função elevada da glândula é denominado também de doença de Graves. O paciente terá todos os sinais do hipertireoidismo, ou seja, agitação psicomotora, batimentos cardíacos rápidos e muitas vezes irregulares, pulso muito elevado, emagrecimento apesar de apetite voraz, perda da massa muscular, agitação psicomotora e vários outros sinais de excesso de função da glândula tiroide. Em 10 a 20% dos casos, coexiste alterações nas órbitas, desde inflamação até sinais de uma doença ocular característica da doença de Graves que pode ser descrita como leve ou moderada protusão das órbitas (olhos saltados) e grande inflamação de todo o conjunto dos globos oculares. 


Exoftalmo no hipertireoidismo - oftalmopatia de Graves



terça-feira, 29 de setembro de 2015

Nódulos na tiroide

Nódulos na Tiroide: frequência, diagnóstico e tratamento adequado.


Um dos problemas mais frequentes em endocrinologia é a disfunção da glândula tiroide. Entre as alterações desta importante glândula está colocada a presença de nódulos. Os fatores que seriam importantes na análise da presença de nódulos na tiroide são aqueles ligados à falta constante de iodo (corrigido pelo uso de sal iodado), a presença de pessoas, na família, com moléstias da tiroide (nódulos), as alterações das funções, o grupo etário, ou seja, a idade do paciente ou da paciente, o sexo feminino onde as disfunções da tiroide são mais frequentes. Uma vez verificado o aumento da glândula tiroide se impõe a realização de vários testes de função e de imagem. Exames de sangue (TSH, T4 livre, T3, anticorpos) irão nos fornecer preciosos dados a respeito da função da glândula. Exames de imagem, como a ultrassonografia, irá nos indicar se a glândula estaria aumentada de volume, se apresenta nódulos, qual o tipo desses nódulos, se ocorrem a presença de calcificação e outras alterações úteis para o diagnóstico final. 


sexta-feira, 4 de setembro de 2015

LEVOTIROXINA (T4)

TRATAMENTO DO HIPOTIREOIDISMO COM LEVOTIROXINA (T4)

O tratamento do hipotireoidismo, isto é, quando existe acentuada ou mediana queda da função da glândula tiróide, é efetuado pela prescrição de levotiroxina em doses crescentes até que se estabeleça uma função tireoidiana normal. 

Os testes de função tireoidiana (TSH e T4 livre) servem de baliza para se chegar à dose justa e adequada para aquele ou aquela paciente com deficiência da função tireoidiana. A imensa maioria dos médicos indica ao paciente que o produto comercial (Levoid, Euthyrox, Synthroid, Puran T4) em forma de comprimidos de diferentes cores, cada qual indicando uma dosagem diferente deva ser obrigatoriamente ingerido pela manhã, em jejum.



  “O paciente deve tomar a levotiroxina pela manhã em jejum, 9 a 15 minutos
antes de outros eventuais medicamentos”

sábado, 11 de julho de 2015

Consumo de Sal

O sal consumido pela população brasileira: Estaríamos com elevado consumo individual de sal?




Fonte da Imagem: François Raux

O sal consumido pela população brasileira é, em sua totalidade, de origem marinha, isto é, o sal é obtido de um processo de evaporação da água do mar sob ação solar até que se formem os cristais de cloreto de sódio (35% de sódio e 65% de cloreto de sódio). 


Desde 1995, por lei federal, o sal é iodado, isto é, acrescenta-se iodato de potássio ao sal processado pela indústria salineira. A proporção de iodo no sal, consumido pela população, pode variar de 15 a 45 mg de iodato de potássio por kg de sal. 


As indústrias salineiras, em média, colocam ao redor de 35 mg de iodato de potássio a cada kg de sal para consumo populacional. Em uma reunião recente do Ministério da Saúde com cientistas preocupados pela possível redução do consumo individual de sal, notou-se que as autoridades em saúde pública pretendem reduzir em futuro próximo o consumo de sal individual para sete gramas de sal (por dia). Com isso, também estaríamos reduzindo a quantidade de iodo, a qual, como já dissemos, é veiculada pelo sal marinho. No estado do Espírito Santo, recentemente, foi aprovada lei que proíbe o uso de saleiros e saches de sal, nas mesas de bares e restaurantes.


segunda-feira, 22 de junho de 2015

Teste do Pézinho na primeira semana de vida

Hipotireoidismo Congênito, ou seja, falta de função da tiróide no recém-nascido

Faça o teste do Pezinho na primeira semana de vida de seu bebê


No Brasil, nascem, a cada ano, 2.400.000 crianças que serão submetidas, até o sétimo dia de vida, ao teste do pezinho. Nesse teste, além de outras moléstias, se detecta se a função da tiróide está normal, ou se a criança apresenta falta de função dessa importante glândula. A maioria das mães fazem o teste da tiróide (teste do pezinho) ainda na maternidade, ou hospital. Outras são instruídas a procurar os postos de saúde para realizar o mesmo teste antes de completar o sétimo dia. É lamentável, mas em boa parte do Brasil, as mães apenas levam as crianças para fazer o teste 30 ou mais dias após o nascimento. Se houver falta de função da tiróide, o fato da criança permanecer durante tanto tempo sem o auxílio de uma prescrição de hormônio tireoidiano poderá gerar graves consequências no sistema nervoso central. Na maioria dos países ocidentais, o teste do pezinho é realizado em crianças até o sétimo dia de vida. Em nosso país, todavia, centenas de milhares de crianças fazem o teste tardiamente. A imensa maioria das crianças apresenta uma falta de função da tiróide devido a má formação da glândula, a qual permanece junto à base da língua e não desce a sua posição normal na face anterior do pescoço. Outras crianças com mais graves sintomas, não tem nenhum vestígio de formação da tiróide e necessitam medicação com urgência. As causas menos frequentes de falta de função da tiróide no recém-nascido são devidas a raras afecções que se caracterizam por falta de função de uma tiróide que se situa normalmente no pescoço. A falta de função se deve a diversas afecções metabólicas, ou seja, falta de determinados pontos que são importantes para a geração de hormônio da tiróide.

Em recente número da revista JCE&M (Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism), os pesquisadores chineses descrevem um recém-nascido com todos os sintomas de falta da função da tiróide na primeira semana de vida. Como a tiróide estava na posição normal, passaram a investigar outros erros metabólicos que costumam estar presentes na tiróide não funcionante num recém-nascido. Como todas as outras etapas do metabolismo pareciam normais, resolveram pesquisar determinada substância que é muito importante para formar uma enzima chamada de peroxidase. Em resumo, descobriram que havia falta de uma enzima muito importante para a formação de peroxidase. Insistem ainda na raridade desse evento e comunicam o registro de uma moléstia de tiróide, afetando o recém-nascido e que têm sua gênese na falta de uma enzima.
Para concluir, devo dizer que a totalidade das crianças recém-nascidas faz o teste do pezinho na República Popular da China. No Brasil, ainda temos muitos problemas nos Estados situados no Norte e Nordeste, a respeito desse teste em recém-nascidos. 

Invista no seu filho. O Teste do Pezinho é o primeiro passo para um futuro saudável e brilhante